slide

09 junho 2016

Viagem para Natal-RN parte 02

Continuando...

Muito bom dia, vamos continuar nossa viagem por Natal-RN!!!

Como eu estava contando para vocês no post anterior, estava programado e incluso no passeio, claro, para irmos até a praia do Amor S2... fomos de trenzinho:


Então, era longe, gente do céu, passamos por muitas estradas estreitinhas, no meio do povo, tinha que ver. O que mais me chamou a atenção no trecho foi essa boate, Boate Calangos, motivo: amei a parede hahaha.


Chegando ao destino, no topo da praia, no chapadão, onde venta muito, não tem explicação. Antes de irmos, a guia avisou para tirarmos o chapéu, chegando lá entendi o porque. Além do vento é muito lindo, paradisíaco:




Famosa Praia do Amor, por que esse nome? Pois as ondas quando quebram na beira da praia formam um coração. Juro pra vocês que me esforcei para conseguir ver um coração, até que vi uhuuul e está ai resultado:

Depois daí fomos rumo ao hotel. A agência de viagens busca na porta do hotel e de leva de volta e deixa na porta do hotel. Todas as agências de viagens de lá são renomeadas e ótimas, recomendo qualquer uma que for escolher. 
Como estava cansada, optei por fica no quarto mesmo, baixei o aplicativo Pedidos já e jantei no quarto mesmo, alias os quartos tem aquelas mini cozinhas, onde fogão, pia, louças e tudo mais. Eu pedi dois pastéis paulistas com fritas e um refrigerante. Pastel de vento, pelo amor de Deus, totalmente sem seco e sem recheio, e batatas fritas murchas, sem mais!
Na quinta-feira dia 15, dormi até mais tarde pois meu passeio era noturno dessa vez. Então tomei um café da manhã bem reforçado e fui conhecer o famoso Cajueiro. Sim, se você for para Natal e não conhecer o maior cajueiro do mundo, esta cometendo uma gafe. Fui por conta própria mesmo, de ônibus, paguei R$ 3,50 e claro que pedi informações na recepção do hotel.
Paguei R$ 8,00 da entrada no Cajueiro e estudante paguava meia.


E ele é grande mesmo. Galhos para tudo que era lado, tinha que cuida para não pisar ou não bater a cabeça num deles. Uma simples semente que até hoje ninguém sabe o certo o que se tornou um cajueiro daquele tamanho. A explicação esta no fato de que ao crescer os galhos caíram por serem pesados, assim quando chegava ao solo criava-se raiz e então seguiu assim até ficar desse tamanho... deu para entender? eu entendi assim hehe não sei se fui muito clara, porem tem duas explicações, a cientifica e a da população. Fiquei encantada com todos aqueles galhos e raízes, você não sabe onde começa, onde termina, incrível e para mais informações não deixem de ir para lá ou clique aqui:


Esse é o pai de todos, o tronco principal.


Tão grande que não coube na foto.



Tomei um pouco de suco natural de Caju, claro, como ia sair de lá sem provar. Então continuei ali, até o ônibus chegar. Para passar o tempo caminhei entre as lojinhas de artesanato e fui até a praia que eu não sei o nome, me desculpem. Só fui até a beira mar e voltei:


Então peguei o ônibus para voltar para o hotel...fiquem ligados que terá um post 03 sobre a viagem, tenho muito mais para contar. Não percam, espero que gostem e até mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 Blog renatamassa.com